Contos Eroticos Veridicos

Um espaço para você ler, partilhar e relembrar os contos eróticos

Transei com a amiga da minha mulher

Posted by Gostosão

A minha mulher tinha uma amiga muito gira, morena chamada Ana, aos fins-de-semana a minha mulher ia almoçar em casa da Ana. Esta era mãe de dois meninos e esperava um terceiro filho, o casamento não estava bem, ela tinha discussões constantes com o marido o Jorge que passava a vida bebendo e jogando às cartas no café próximo de sua casa e mal dava atenção à sua família. Eu e a Ana assim que nos conhecemos tivemos uma grande afinidade, conversámos sobre tudo um pouco, mais quando o assunto era sexo, a nossa conversa aquecia e falávamos sobre tudo de forma mais ou menos picante, é claro que longe das crianças, e até mesmo da presença da Joana, a minha mulher, que não gostava quando eu e a Ana falávamos sobre este assunto.

Assim o tempo foi passando e eu e a Ana estávamos cada vez mais amigos, trocámos ideias sobre a vida, falávamos de nosso presente e de nosso passado dos tempos em que éramos jovens, e dos bailes que nos curtíamos na cidade. O tempo foi passando e eu estava com a minha mulher que era enfermeira e trabalhava num hospital e num centro de saúde, eu sou taxista e trabalhava muito também para pagar as nossas dívidas, depois que a Ana teve o seu terceiro filho, passando alguns meses depois que a criança nasceu ela separou-se do Jorge, nós nem acreditamos que eles se tinham realmente separado…assim eu continuei a visitar a Ana que morava no mesmo bairro que nós mas sem nenhuma maldade de minha parte.

Assim aos fins-de-semana eu estava em casa e não tinha o que fazer dava um saltinho na casa da Ana que me recebia com o maior carinho e atenção, falávamos muito e eu reclamava da falta de atenção da Joana em relação à minha pessoa, e ela dizia que o Jorge também deixava a desejar também nesse aspecto e também em relação à cama, que ela mal tinha sexo com ele. Que ele não gostava nem de lhe ir ao cuzinho, que ela é quem oferecia a ele e ele ainda fazia pouco caso disso… e eu só ouvia a minha amiga, depois com o passar de mais alguns tempo eu já dava boleia à Ana quando ela vinha do trabalho e um certo dia, parámos para conversar numa rua sem movimento e depois de uma breve conversar surgiu um beijo, entre nós dentro do meu táxi.

Deixei no momento a minha mão correr solta pelo seu corpo, e logo com calma e experiência a minha mão já tocava na coninha dela por cima das suas calças, ela gemia nos meus ouvidos, chamando-me de sacana…que ela sabia que eu era assim, pois a Joana tinha-lhe dito como eu era sacana e bom, e que ela gostaria de sentir a minha picha, tão elogiada pela sua amiga. Com uns bons amassos no nosso primeiro encontro dentro do meu carro, deixei a Ana com água na boca e com gosto de quero mais, só não tivemos sexo ali porque ela estava de calças e tinha ainda que ir buscar o filho pequeno em casa da sua mãe, trocámos algumas ideias e combinamos ver-nos em sua casa no fim-de- semana, pois o Jorge ia passar em sua casa para apanhar as crianças para um passeio, só ficava ela e o bebe em casa.

Contei as horas para chegar o fim-de-semana, e como os dias demoraram a passar, e assim foi na sexta-feira ainda a encontrei e ela disse-me que também estava ansiosa pelo nosso encontro, a minha esposa ia trabalhar o dia inteiro no hospital, pois ela ia ter um turno de doze horas, chegou o dia d deixei a minha esposa no hospital, e lá pelas dez horas fui para casa da Ana que esperava vestida com um vestidinho bem curto e florido uma verdadeira delicia, como a sua criança pequena já tinha comido e estava dormindo o sonho dos anjos eu e a Ana não perdemos tempo…

Passámos à acção no seu sofá, eu estava com toda calma chupando os seus peitos grandes e apetitosos que logo começava a gemer ao meu ouvido, novamente deixando a minha mão passear pelo seu corpo, as minhas mãos estava tocando agora a coninha dela que estava toda molhadinha e carente de amor… como ela gemia… desci beijando todo o seu corpo e cai de boca na ratinha dela fazendo uns preliminares e fazendo-a vir-se na minha boca, fiquei de pé em frente dela e ofereci-lhe o meu cacete e ela retribuiu o mesmo prazer à minha pessoa, depois com toda calma ela agora oferecia-se a mim de quatro no sofá, não tive dó nem piedade e com calma meti o meu pau grande e grosso na coninha dela que agora gemia muito mais gostoso, rebolando bastante com o meu pau na sua cona faminta e gulosa, dizia mete…. filho de uma puta…. mete meu cabrão… bem que a Joana tinha dito que tu eras uma delicia.

Estivemos naquilo durante algumas horas…meti centímetro por centímetro do meu vigoroso pau na Ana deixando a sua coninha toda assada, ela estava satisfeita comigo pois disse que nunca se tinha vindo tantas vezes na sua vida, e que a Joana devia estar muito feliz comigo que eu era um homem maravilhoso em todos os sentidos, ela praticamente depois que a sua criança acordou ficou desfilando para mim com uma saia ainda mais curta e em cada oportunidade ela exibia a sua ratinha para mim, pois ela ficou o dia inteiro sem cuecas, e quando a sua criança voltou a dormir fudemos ainda mais, dando-lhe outra surra de piça. Depois disso tivemos um caso que durou mais de dois anos, eu sempre um amigo bem prestativo para com a minha amiga e ela para comigo.

Leave a Reply