Contos Eroticos Veridicos

Um espaço para você ler, partilhar e relembrar os contos eróticos

Primeira vez sexo anal

Posted by Gostosão

 O conto que passo a relatar aconteceu no ano passado quando eu tinha 20 anos. O meu nome é Filipa sou loira, tenho 1,70m, olhos azuis, cabelos longos, seios médios, coxas grossas e um cuzinho arrebitado, a maioria dos rapazes acham-me bem boa. Eu estava encantada por um rapaz do meu curso de inglês, era bem giro por sinal com um corpo másculo, braços fortes, peitoral definido, mas infelizmente ele tinha namorada, mas eu notei que ele também olhava para mim de uma maneira diferente, um olhar guloso.

Então certo dia o nosso curso de inglês anunciou um fim-de-semana de imersão na língua inglesa para os alunos que quisessem participar, seria num hotel próximo da nossa cidade. Perguntei ao Ricardo, o rapaz que eu gostava, se ele iria participar ao que respondeu que sim. Decidi que esta era uma boa oportunidade para aproveitar e saciar o meu tesão por ele, e inscrevi-me logo. Fiquei ansiosa durante quase três semanas até que chegou o tão esperado fim-de-semana. Fomos para o hotel na sexta-feira. Eu fiquei num quarto com outras raparigas e ele com outros rapazes. Dormi a pensar nele.

No sábado recebemos a programação das actividades que seriam realizadas no fim-de-semana, em alguns horários havia mais do que uma opção, mas eu procurava estar nas mesmas actividades do que ele e ele ficava junto comigo. Eu gostava muito de conversar com ele, que tinha 22 anos. E assim se passou o sábado inteiro e o domingo de manhã, mas eu resolvi que depois do almoço eu tinha que tomar uma atitude mais ousada para não perder aquela oportunidade. Então quando os alunos se dirigiam para as actividades, eu chamei-o, “Vem aqui comigo!”, peguei na mão dele e levei-o para um canto do parque em redor do hotel que ficava atrás de uma grande pedra, assim não seríamos incomodados nem apanhados. Ao chegar lá eu fui directa ao assunto, “Ricardo, quero ter sexo contigo.”, “Estou doida para te comer”, ao que ele respondeu já tirando a minha blusa.

Começou a mamar nos meus peitos, ora num, ora noutro, dando mordidinhas e lambidelas nos meus mamilos. Eu fiquei louca sentido aquela boca nas minhas tetas. Então disse, “deixa-me chupar-te”, ele tirou imediatamente os calções e deixou aquela pica dura na minha frente, eu abaixei-me e comecei a mamar bem devagar, às vezes tirava da boca e passava a língua em volta da cabeça do pau dele, para depois meter novamente na boca e voltar a mamar, a minha cabeça ia e vinha num movimento muito bom, aumentando o ritmo aos poucos, até que o Ricardo não aguentou e disse, “tira o resto da roupa”. Ao que eu obedeci, apoiei as minhas mãos na grande pedra, que era como uma parede inclinada, e fiquei praticamente de quatro, então ele veio por trás de mim e enfiou o pau lentamente na minha cona.

Ele agarrou a minha cintura e eu soltava gemidos baixinhos, delirando de tesão. Foi então que para nossa surpresa apareceram a Maria e o Gustavo, dois colegas de turma. “oi, malta!”, disse a Maria com muita naturalidade, como se aquilo que eu e o Ricardo estávamos fazendo fosse uma cena normal para ela, com os seus 16 anos de idade. Surpresa maior ainda tivemos quando ela começou a tirar a roupa toda e mandou que o Renato, também de 16 anos, também tirasse. Nessa altura, o Ricardo já tinha voltado a bombar a piçaa na minha ratinha, e eu estava adorando e admirando a cena que eu estava vendo. A Maria é muito bonita, branca, com cabelos pretos curtos, mais ou menos 1,65m de altura, e um cu perfeito, redondinho, eu até senti tesão quando a vi. Mas eu fiquei mais impressionada quando o Renato se despiu, eu não acreditava no que via, um caralho enorme, gigantesco, bem grande e grosso, eu nunca ia imaginar que ele tinha um assim. A Maria para praticar o inglês disse, “I want to suck your cock”, e tratou de abocanhar aquele cacete o máximo que ela podia, querendo engolir tudo mas não conseguia, e foi fazendo um broche no rapaz.

Nisto o Ricardo tirou o pau da minha cona e disse, “Chupa a minha piça Filipa, ”, e eu fazia-lhe um broche e olhava ao mesmo tempo para a mamada da Maria no Renato, e fui deixando a piça do Ricardo toda molhada de saliva porque eu estava com água na boca ao ver aquele pau do Renato. De repente a Maria parou de mamar e disse, “fuck my ass”, e virou aquele cu linda para o Renato e fez como eu tinha feito, apoiando as mãos na pedra. Ele então foi espetando aquela vara no cu dela, e ela foi gemendo e dizendo, “oh, more, more, oh, i want your cock all in my ass.”. O Renato foi enfiando o caralho devagar, até que desapareceu dentro do cu dela. A putinha não conseguiu engolir o pau todo com a boca, mas engoliu com o cu. O Renato começou o vaivém, tirando quase tudo e metendo bem fundo de novo e a porca quase gritando implorava, “stronger, stronger!”. O Ricardo presenciando aquela cena disse, “fica de quatro, Filipa”, e eu obedeci.

Senti a ponta do pau dele forçando a entrada do meu cuzinho e eu disse, “no cu não!”, e ele disse, “mas eu quero comer o teu cu.”, Eu respondi, “no cu não faço, nunca dei o meu cu.”, ‘Está bem”, disse ele. Então ele enfiou com raiva o pau na minha cona, ficou-me comendo e olhando para o casal. Depois de algum tempo o Renato tirou o pau do cu da Maria, virou o corpo dela e meteu o pau na boca dela. Com o movimento, o cu dela ficou virado para o nosso lado, proporcionando uma vista maravilhosa. O Ricardo, que estava vigiando o casal, não perdeu tempo, tirou o pau da minha cona e enfiou no rabo da rapariga. Ela nem reagiu, ela estava era a adorar, com um pau na boca e outro no cu, ela dizia “fuck me, guys! fuck me! fuck me hard, Ricardo!”, e ele enfiava com tanta vontade que a Maria chegava a levantar os calcanhares do chão, ficando em bicos dos pés cada vez que ele enfiava. Eu fiquei ali desprezada, vendo aquela cena e morrendo de inveja daquela puta, que estava possuindo os dois paus, e além disso ainda falava em inglês. Mas decidi que aquilo não podia ficar assim. Chamei o Renato e disse “fode-me no cu.” E pus-me de quatro para ele.

Então ele foi enfiando, “devagar! vai devagar!” disse eu. Ele foi empurrando lentamente, eu sentia cada centímetro daquele caralho enorme invadindo o meu cuzinho virgem, forçando a entrada. Sentia muita dor e gemia baixinho, e fiquei pensando como aquela gaja aguentava levar no cu com tanta facilidade. Eu estava até meio tonta, algumas lágrimas escorriam dos meus olhos, mas depois de algumas estocadas eu comecei a sentir prazer naquela situação, já estava adorando sentir o meu rabo a ser inaugurado e arrombado por um rapaz com um caralho gigante, mesmo com a dor. Eu estava doidinha sentindo os golpes daquela pica grande dentro do meu cu, ele enfiava sem piedade, rasgando-me toda com movimentos vigorosos, indo até o fundo, eu sentia as suas bolas batendo e roçando no meu cu, eu fazia um esforço grande para aguentar aquilo, mal cabia todo dentro do meu rabo, mas a verdade é que eu estava gostando muito e sentindo um prazer indescritível.

Eu gemia loucamente por causa daquele pau delicioso, quando então veio o Ricardo e disse “resolves-te levar no cu puta? vamos trocar, Renato”. Então o Renato tirou o pau do meu cu e foi comer o cu da Maria novamente. “Agora vais ver, porca!”, disse o Ricardo e começou a enfiar o pau no meu rabo. Ele foi fazendo movimentos bem rápidos, num entra e sai alucinante, o pau dele deslizava facilmente porque o meu rabo já tinha sido alargado pelo caralho do Renato. “mete! mete com força! mete tudo!”, pedia eu e ao mesmo tempo ouvia a Maria dizer para o Renato “fuck me, my man! i want your cock in my ass until the end! fuck me strong, please!” e ele foi socando aquele pauzao no cu dela, dava para ver a felicidade estampada na cara dela, até que de repente ele tirou  o pau do rabo dela e jorrou uma enchente de esporra em cima do cu e das costas dela, foram várias golfadas, uma verdadeira inundação, e depois caiu sentado na relva.

O Ricardo continuou fudendo o meu cu e passados nem dois minutos depois do Renato ele tirou a piça do meu cu e foi paro o lado da Maria, ela ficou de quatro, enfiou no rabo dela, deu umas cinco ou seis estocadas, tirou e esporrou-se, lambuzando ainda mais aquele cu lindo. Descansamos um pouco, vestimos as roupas e fomos juntar-nos aos outros. Durante a noite fui embora para casa com a sensação do dever cumprido, tendo aproveitado bem o fim-de-semana, Comi o gajo que queria, aperfeiçoei meu inglês e aperfeiçoei o meu sexo também. Hoje não sou da mesma turma de inglês do Ricardo, estou numa turma juntamente com a Maria e o Renato, os dois são namorados. Que inveja tenho da Maria em ter aquele pau incrível à disposição.

One Response to “Primeira vez sexo anal”

  1. Mineiro says:

    DELICIA ADORO UM CUZINHO DE MULHER mineiro.bs@hotmail.com

Leave a Reply