Contos Eroticos Veridicos

Um espaço para você ler, partilhar e relembrar os contos eróticos

Orgia na sauna

Posted by Gostosão

O meu nome é Alexandra, tenho 22 anos e tenho cabelos castanhos aloirados e olhos castanhos-claros, 1,66m e 55 kg. Os meus seios são médios e tenho um cuzinho arrebitado. A minha história começa quando fui convidada para um almoço da minha turma da secundária. Havia já muito tempo que não nos víamos e senti que seria muito bom. No dia marcado, vesti uns calções bem curtinhos e provocantes, um top vermelho e umas sandálias pretas.

Prendi os meus cabelos em rabo-de-cavalo e fui à boleia com um rapaz, chamado Ivo. Ele era um dos meus colegas de turma que por coincidência tinha feito natação comigo durante alguns anos e sei exactamente como é seu corpo, e tinha a intenção de saber mais. O almoço foi muito bom. Foram muitos amigos e conversamos e rimos muito. À noite, percebi que eu era a única mulher entre três rapazes, o Ivo que me tinha dado boleia, o Hugo, o dono da casa e o Alfredo, que aliás era o mais bonito dos três e o que me chamou mais a atenção. No meio da conversa o Hugo propõe fazermos uma sauna para relaxar. Como já estava um pouco tocada e com tesão pela situação em que me encontrava, aceitei. Mas primeiro tinha que fazer um pouco de suspense, dizendo que não tinha biquíni. Ao que ele disse para eu usar um biquíni da sua irmã, que sempre fica na casa para ocasiões especiais.

O biquíni era minúsculo. Mal cabiam os meus seios dentro dele e além do mais puxei o máximo para cima para colocar um fio dental. Quando entrei na sauna, senti o chão húmido com os meus pezinhos descalços e vi os três de cuecas conversando e rindo muito. Quando eles olharam, ficaram um pouco envergonhados pois vi os volumes das suas cuecas. Os três estavam de pau feito. Fiquei molhadinha. O Ivo levantou-se, abraçou-me e pediu para que eu me sentasse e curtisse a sauna. Sentei-me entre eles, ao lado do Ivo e do Alfredo, enquanto o Hugo levantou-se e ficou-se exibindo à nossa frente. O tesão estava estampado nos nossos rostos, mas ninguém queria tomar a iniciativa pois isso poderia causar algum constrangimento. Então o Hugo sugeriu que ficássemos todos nus. Olhamos uns para os outros e aceitámos. Eu então sugeri que eles tirassem as cuecas dançando como stripers e eu faria o mesmo com o biquíni. Os três rapazes levantaram-se do banco e começaram a dançar. Mexeram-se e tiraram as cuecas ficando todos nus. Pude observar os seus paus todos duros e molhadinhos olhando para mim.

Então eu disse para os três sentarem-se e então comecei a dançar e exibir-me para aqueles três machos. Antes mesmo de tirar o biquíni, percebi que os três se masturbavam e eu pude sentir o que me esperava. Primeiro desamarrei a alça da parte de cima e segurei para esconder os meus seios, fazendo um certo “charme”. Fui rebolando na direcção deles e neste momento o Hugo levantou-se e foi ao meu encontro. Ele beijou-me o pescoço e despiu os meus seios. Eles ficaram um tempo observando, eu então empurrei o Hugo e disse-lhe para ele ficar sentadinho para que eu pudesse terminar o meu strip. Nessa altura eu também estava com muito tesão, então tirei logo a parte de baixo do biquíni ficando totalmente nua para os rapazes. A minha coninha rosadinha, com poucos pelinhos, ficou à mostra e eles pareciam que estavam babando de tesão.

Eu também estava com muito tesão, mal esperava a hora de ser possuída por aqueles três machos, mas contive-me e pensei para comigo mesma que tudo deveria ocorrer no seu devido tempo, como sempre sonhei. Disse-lhes que poderíamos ter sexo mas que eu daria as ordens. Disse também que não gostaria de ser duplamente penetrada, pois o meu cuzinho ainda era virgem e gostaria que ele continuasse assim. Os três disseram “sim” com as cabeças concordando comigo e então disse-lhes que eu iria chupá-los primeiro. Comecei então a chupar o pau de Ivo que estava entre eles, enquanto masturbava o Alfredo e Hugo. Pude perceber que o pau do Alfredo era maior que o dos outros dois, pois sobrava muito pau na minha mão. O pau de Ivo era o menor, então chupava-o bem, até encostar o meu nariz nos seus pêlos. E claro que também não fazia isso sempre, pois por menor que fosse, a cabecinha sempre tocava na minha garganta. Ficámos alguns minutos nessa posição, então disse para trocarem de lugar, pois queria “experimentar” o pau do Alfredo. Eles trocaram de lugar e eu então comecei a chupar o pau do Alfredo. Só conseguia chupar até metade. Então eu chupava, passava a minha língua até à cabecinha, chupava novamente, respirava, chupava as suas bolas até ele ficar louco. Disse então ao Hugo para que ele chupasse a minha coninha, nessa altura encharcada de tanto tesão.

O Hugo levantou-se bateu de leve no meu cú e começou a enfiar deliciosamente a sua língua na minha coninha. Fui à loucura. Agarrei os paus do Ivo e do Alfredo e comecei a chupá-los mais fervorosamente. O Ivo não aguentou e veio-se na minha boca. Deixei que a esporra escorresse sob o meu corpo e não parei de chupar o Alfredo. Nesse momento pedi para que o Hugo me penetrasse. Ele começou a fazer um vai e vem. O Ivo agora ficava por baixo de mim e massajava os meus seios. Fui percebendo que os movimentos de vai e vem estavam cada vez mais rápidos, e de repente senti que ele estava a vir-se no meu cú. Eu já me tinha vindo mas queria ser penetrada pelo Alfredo. Pedi-lhe para que se deitasse no chão que eu queria muito “cavalgá-lo”. Ele deitou-se e eu sentei-me naquele pau enorme.

Pedi para que o Ivo não me comesse o cú, pois como já tinha dito, não queria ser duplamente penetrada. Mas ele colocou as mão no meu cuzinho, abriu-o bem e eu fiquei a sua mercê. O Alfredo segurou-me com força e eu não pude fazer nada. Ele então enfiou um dedinho ficou com ele dentro de meu cuzinho alguns minutos e, então, ele enterrou o pau no meu pobre cuzinho. Nesse momento vi estrelas e o prazer era tanto que nem dor senti. Somente gritava, urrava e berrava naquela sauna. O Alfredo enterrando o pau na minha cona, fazendo movimentos para cima e para baixo e o Ivo comendo o meu cuzinho. Era demais. O Hugo levantou-se e começou a esfregar o pau na minha cara, eu então abri a boca ele enfiou mas não consegui chupá-lo. Ele então tirou da minha boca e começou a batê-lo ao de leve sobre o meu rosto. Ficámos algum tempo nessa posição, não sei dizer quanto, quando senti esperma na minha cona. O Alfredo tinha-se vindo. O Ivo vendo o seu companheiro vir-se, tirou o pau do meu cuzinho e veio-se na minha cara. O Hugo que nesse meio tempo estava a masturbar-se sentado no banco, também se veio no meu rosto.

Caímos os quatro desfalecidos no chão da sauna. Levantei-me e tomei um duche dentro da sauna e tentava recompor-me quando os três vieram ao meu encontro e entraram no duche comigo. Parecia que queriam mais e eles realmente queriam mais. Limpámo-nos e voltamos ao banco da sauna. Agora eles disseram que eu teria que fazer o que eles mandassem. Concordei mas só pedi para que eles não usassem violência. O Hugo disse para eu ficar tranquila e o Alfredo disse para eu me deitar no banco e abrir bem as pernas. Nesse momento comecei a ficar com tesão de novo somente olhando para aqueles paus semi-erectos. Deitei-me no banco de frente para ele e o Hugo e o Ivo vieram ao meu encontro e esfregavam os seus paus no meu rosto forçando-me a chupá-los. Chupava um de cada vez e de vez em quando engolia totalmente o pau do Hugo até às bolas levando-o à loucura. Enquanto chupava os paus, o Alfredo, esfregava o pau na minha coninha.

Eu então comecei a masturbar os dois e pedi para que o Alfredo me penetrasse. Ele enfiou de uma vez só fazendo-me urrar de dor. Mas quando ele começou um vai e vem, senti uma sensação estranha de dor e prazer. Não demorou muito e eu já estava a vir-me. O Alfredo percebeu que eu estava a vir-me e foi mais rápido fazendo-me gritar mais e mais. Porém a intenção dele era outra. Eles perceberam que eu não queria dar o cú para o Alfredo por causa do seu pau grande. Então quando eu estava tomando duche sozinha, os três tinham combinado tudo. O Alfredo então olhou para eles e aproveitou que eu estava molinha devido a ter-me vindo e enfiou o pau no meu cuzinho. Percebi a jogada e gelei só de pensar. Eles seguraram-me e o Alfredo enterrou tudo. Gritei de dor. Parecia que estava a ser arrombada, e estava mesmo. Quase desmaiei nessa hora. Apesar de ter permitido que o Hugo me comesse o cuzinho, nada era comparado à penetração do Alfredo. Ele então começou um movimento de vai e vem bem devagarinho para que eu me acostumasse com aquele pau no meu pobre cuzinho. Ele então segurou-me e eu cruzei as minhas pernas à volta da sua cintura.

Beijámo-nos e ele, ainda com o pau no meu cú disse que iria vir-se. Eu disse, quase desmaiando, “então despacha-te que eu não estou aguentando mais”. O Alfredo ouvindo isso e veio-se novamente, agora encharcando o meu cuzinho de esporra. Ele colocou-me no chão e eu fiquei molinha molinha. Os outros dois, que estavam masturbando-se enquanto assistiam à cena ajoelharam-se e vieram-se sob os meus seios. Ficámos no chão daquela sauna húmida por um tempinho, aí nos levantamos, tomamos banho e fomos mudar de roupa trocar. Trocámos mais algumas carícias e eu beijei-os na boca como uma forma carinhosa de agradecimento e despedida. Fui embora e no dia seguinte não me podia nem sentar pois o meu cuzinho ainda me doía muito. Não sei quanto tempo fiquei assim, só sei que me senti realizada e muito feliz por poder ter fodido com aqueles três rapazes, como há tempos eu sonhava.

2 Responses to “Orgia na sauna”

  1. Pedro says:

    que tesão!!! Sortudos!!

  2. Mineiro says:

    KI SAFADA EH VC HEINNN ADORO UMA MULHER ASSIM mineiro.bs@hotmail.com me escrevam

Leave a Reply