Contos Eroticos Veridicos

Um espaço para você ler, partilhar e relembrar os contos eróticos

Faço sexo com o pai do meu namorado

Posted by Gostosão

O meu nome é Catarina, tenho 25 anos sou morena tenho 1.78 e 65, seios bem redondinhos e empinados, um rabinho grande e empinado e uma cinturinha fina.

Sou muito amiga do Jorge e após anos de convívio ele pediu-me em namoro apesar de ele não me atrair acabei por aceitar, mas ainda hoje não sei porque namoro com ele, quer dizer sei o motivo é bem maior o pai dele! Um homem com H grande um corpo fnatástico, cabelos espetado, alto com a barba por fazer, aquilo sim era um HOMEM dos sonhos de qualquer mulher ! Cada vez que via uma foto dele ou quando pensava nele vinha-me logo à cabeça certos pensamentos.

O Jorge não me satisfazia, nem nos beijos mas o pai dele fazia-me continuar com ele a todo o custo.

Passei a frequentar a sua casa agora com mais frequência, e quase sempre me deparava com seu pai ao chegar lá, alguma das vezes sem camisa. Sempre que chego aquele homem vem ter comigo para me abraçar com aquele perfume magnifico fico cheia de tesão.

Passava horas delirando s olhar para ele e estudava todas aquelas curvas e músculos do corpo do Manuel, o sogro dos sonhos, ou melhor o HOMEM do mundo!

Acho que ele nunca reparou em mim como mulher mas sim como a namoradinha do filho.

Sempre que ia para casa ia com uma vontade louca de sentir o toque daquele homem com aquelas mãos enormes e aquele corpo todo musculado, sempre imaginando como seria o pénis dele .. Quando chegava a casa ia logo para o meu quarto, deitava-me na cama enquanto pensava no Manuel, era automático a minha mão escorregava pelos meus seios delicadamente, até chegar à minha vagina que já estava molhadinha só de pensar um minuto naquele homem, começava a acariciar lentamente o meu clítoris, alternando com os dedos em movimentos circulares na minha vagina até atingir o orgasmo. .

Comecei a pensar que não dava para continuar assim, tinha de arranjar maneira para me insinuar e ver se ele correspondia, essa ideia não me saia da cabeça, mas não sabia por onde começar, mas foi isso que fiz no outro dia, fui a casa dele, estavam todos na piscina, fiquei muito empolgada, pois quando cheguei na porta que dá acesso à piscina encontrei o Manuel só de calções, todo molhado de costas para mim, eu fiquei ali imóvel, não conseguia mexer-me nem tirar os olhos daquele corpo delicioso, senti a minha vagina a arder, dei um suspiro e ele se virou-se meio assustado por me encontrar ali, parada a olhar para ele, mas vi que ele percebeu a minha cara, pois quando ele se virou ainda estava como fiquei e desci os olhos lentamente por todo o corpo dele, ele leu os meus olhos, mas hesitou , sorriu de lado, um sorriso perfeito e sedutor. Pelos calções dava para perceber que tinha um bom material e fiquei super excitada.! Ele veio ter comigo e abraçou-me rapidamente com um beijo na bochecha como sempre e fui abraçadinha a ele até à piscina, aquele cheiro hipnotizava-me, mas logo tive que acordar quando chegámos

Estava muito calor, tirei a parte de cima do biquini e fiquei sentada de baixo do guarda sol com o Jorge, resolvi entrar na água, tirei a parte de baixo do biquini, vi que ele olhou para mim por alguns segundo enquanto eu ia tirando a parte de baixo, aproveitei-me da situação quando vi que ele olhava para mim e adorei aquilo senti que a sua atenção era toda para mim, comecei a dar leves e lentas mexidas no quadris para descer os calções apertados e virei o rabo para o lado em que ele estava e desci os calções até abaixo sem dobrar as pernas, quando me virei vi que ele ainda estava olhando, mas ficou envergonhado quando eu percebi e voltou a brincar com as sobrinhas, dei um beijinho no Jorge e fui em direcção à piscina, o Manuel estava a segurar uma garrafa de cerveja cheia que tinha acabado de abrir, então eu passei por ele , e ele muito brincalhão perguntou com o olhar inocente:

 - Estás com calor Catarina ?

 Eu sorri e disse :

 - Muito…

 Então ele derramou a cerveja pelos meus ombros e estava muito gelada. Arrepiei-me toda e senti a cerveja geladíssima invadir meu biquini e tocar os meus seios que estavam quentinhos, senti os bicos endurecer rapidamente de frio, e logo aparecer no biquini, vi que a sua expressão e seu olhar tinham mudado completamente, e não tirava os olhos dos bicos dos meus seios querendo furar o biquini, e para disfarçar empurrou-me para a piscina fazendo brincadeiras

Foi o momento em que percebi que as coisas tinham mudado, e notei que havia interesse a partir desse dia, no momento que cheguei !

Estava super excitada e com uma imensa vontade de me tocar ali mesmo, mas as primas do Jorge ou até ele poderia perceber, com a desculpa que ia buscar mais cerveja, fui para dentro da casa, o Jorge estava quase a dormir deitado na rede.

Quando entrei na cozinha só de biquini vi que ele olhava para mim, perguntei se tinha mais cervejas ele respondeu sem tirar os olhos de mim. Então eu abri o frigorifico, empinando o rabo para ele e procurei e fingi não achar. Ele veio por trás de mim encostou a mão na porta do frigorifico e colou aquele volume imenso dos calções no meu rabo e roçava para frente, enquanto inclinava a cabeça fingindo procurar.

Senti a minha vagina a arder e notei que ele também estava gostando, quando comecei a forçar o meu rabo nele, senti encostar aquela barba no meu ombro, pude sentir a sua respiração mais alta e ele empurrava cada vez mais aquele volume imenso, tão duro como um espeto, a cada respiração dele, e roçada no meu ombro que ele dava com a barba que me arrepiava. Ficámos por um tempo assim, eu estava com tanta tesão a ponto de explodir , tanta tesão que eu queria gemer, gritar ! Mas a mulher dele chegou, assustamo-nos, ele afastou-se e eu abaixei-me rapidamente e peguei na cerveja, ela não se apercebeu de nada.

Voltei rapidamente para a piscina e entreguei a cerveja às meninas, vi que o Jorge dormia e que as primas já estavam bêbadas.

Eu não conseguia esquecer a cena que se tinha passado e ainda podia senti-lo roçando-se em mim, estava a ponto de enlouquecer se eu não comesse aquele homem naquele dia mesmo !

Quando ouvi o barulho do portão assustei-me, pois estava longe, e pensei quem poderia vir ai. Quando corri para a área da piscina para ver a frente da casa era o carro da mulher dele que saia, assustei-me e pensei que era o Manuel que estava a sair, corri para a cozinha e não o vi lá, procurei pela sala e pelo corredor, pensei que poderia ter saído. Quando voltava ouvi um barulho vindo do andar de cima, resolvi ir lá ver quando cheguei e abri a porta dou de cara com o Manuel e disse: “ Eu sabia que vinhas”.

Respirei fundo e sussurrei : “ Pensei que tinhas saído” enquanto eu falava ele aproximava-se mais, aquilo estava a excitar-me e deixava-me louca, com medo de alguém subir, mas ao mesmo tempo estava doida de tesão.

Ele aproximou-se de mim com aquele sorriso malandro , e enquanto ele se encostava a mim, colando o corpo contra o meu ele esticou a mão e trancou a porta,

Apertou-me com um fúria, e deu-me uma palmada no minha rabo seguida de um apertão bem forte, aquilo foi acompanhado de um gemido de prazer.

Deslizei as unhas com força pelas suas costas sentindo o cheiro, ele arrepiou-se, e a cada arrepio eu fincava as unhas mais forte, contornando cada pedaço do corpo dele com as minhas mãos, então ele beijou-me com vontade, estávamos a acaricia-nos um ao outro, ele desabotoou o sutiã do meu biquini e olhou para os meus seios, eu ja estava muito ofegante, quando ele abocanhou cada um, dando leves mordidas e chupões nos meus seios, eu delirava, gemia sentindo as chupadelas nos meus seios com toda força a minha mão já estava no pau dele, por cima dos calções, até que ele tirou a boca dos meus seios e olhou para mim,

Comecei a beijar aquele peitoral enorme, dando mordidas e descendo a língua lentamente pela barriga toda definida até aos calções, passando a língua no pau dele por cima dos calções. Quando coloquei o pau dele para fora era enorme, cabeçudo, grosso e cheio de veias tal como eu imaginará, não demorou nada para que eu a começasse a chupar.

Ele olhava para mim mordendo os lábios, então eu parei a boca na cabeça e fiquei passando os dente ao de leve na cabeça dando longos chupões e massajando as bolas dele, ele soltou um gemido, e eu comecei a bater uma punheta enquanto chupava e fazia movimentos circulares na cabeça, continuei assim alguns minutos, alternando isso e abocanhando, fui recompensada com um jacto de esperma com toda a força na minha garganta .

Então eu subi lentamente e sussurrei: “ Eu sempre te quis estou louca para que me fodas”, ele respondeu: “ Hoje eu vou fazer-te sentir uma mulher de verdade sua porca! vou te fuder até não aguentares mais”.

Virou-me com força de costas para ele, apertou os meus seios com as duas mãos enquanto beijava o meu pescoço e mordia, descendo as mãos pela minha barriga até à minha vagina por cima do biquini. Eu estava ardendo de tanta tesão, e encharcada, ele acariciou-me toda e empurrou-me para a cama e fiquei de 4. Estava louca para sentir aquele pau gigante dentro de mim e não demorou muito. Ele ficou ali pincelando a minha coninha com aquele mastro gigante, quando ele colocou a cabeça eu respirei fundo e mordi o lábio, olhei para trás para observar aquilo, e ver que era realidade e não um sonho.

Ele colocava aquele pau lentamente até o fim, quando entrou tudo , ele começou a bombar rápido eu gemia como uma puta insaciável e ele batia-me com muita força no cu, eu gemia muito alto, já não tinha medo de alguém ouvir, eu estava em extase, sentia as lágrimas escorrer de dor e prazer e aquela voz rouca sussurando: “Isso sua porca, devora o meu pau quero deixar a tua coninha cheia de esporra” e eu respondi gemendo muito alto: “ Vai mete com força rasga-me toda meu cabrão que eu estou louca para sentir a tua esporra dentro de mim”.

Estava louca de prazer e não demorou muito para que me viesse e ele logo de seguida, Então ele veio e beijou-me delicadamente, ficamos assim até eu sentir aquele mastro endurecer novamente e roçar nas minhas coxas. Ele sentou-se, fiquei por cima dele, encaixei lentamente e comecei a cavalgar naquela picha enorme e grossa.

A minha coninha estava dorida mas isso só acompanhou no meu prazer enorme, eu cavalgava cada vez mais rápido e gemia como uma cadela com o cio e ele segurava a minha cintura forçando-me a ir mais para baixo, viemo-nos ao mesmo tempo e no final ele lambeu a minha coninha e depois saimos do quarto.

Hoje em dia fudemos todos os dias, em qualquer lugar, até deixo que ele me vá ao cuzinho, ainda namoro com o Jorge, mas tenho aquele homem a toda a hora que eu quero e cada vez tenho orgasmos mais intensos.

 

One Response to “Faço sexo com o pai do meu namorado”

  1. Pedro says:

    Coitadinho do teu namorado!! Mas se não souber…não sente…e tu aproveitas

Leave a Reply