Contos Eroticos Veridicos

Um espaço para você ler, partilhar e relembrar os contos eróticos

Comi a prima da minha namorada

Posted by Gostosão

O meu nome é Domingos tenho 33 anos e sou policia e no fim-de-semana fui a um almoço na casa dos pais da minha namorada. Era época festiva de fim de ano quando todos se reuniam para comemorar. Eles moravam numa cidade à beira mar e todos gostavam muito de praia. A única que não gostava de praia era a prima de minha namorada.

Enquanto almoçávamos presenciei uma discussão dela com o marido e pensei, o casamento dela não está nada bem. Eu nunca olhei muito para ela, mas certa vez vi-a a sair da casa de banho só de toalha e aquela cena acendeu o meu lado animal e tive muita vontade de ter sexo com ela. Mas ela pareceu-me ser uma mulher séria, tinha um emprego no estado e era respeitada por todos.

Nessa noite ouvi que todos combinavam ir à praia logo cedinho e eu sabia que ela não iria pois não gostava de praia. Ela sempre preferiu ficar em casa fazendo o almoço para a malta. Para disfarçar, eu fui à praia e quando cheguei lá, inventei uma desculpa e voltei para casa. Cheguei a casa e ela ficou surpreendida pois eu adoro praia. Ela tinha acabado de acordar e tinha saído do banho. Como ela pensava que não estava ninguém em casa, ainda tinha vestida uma camisola verde transparente. Ao início ela ficou envergonhada com a minha presença. Então disse-lhe para não ficar envergonhada pois tinha um corpo muito bonito. Ela ficou toda vermelha ao ouvir aquilo da minha boca. Era baixinha mas era muito boa mesmo. Eu convenci-a a ficar ali comigo conversando mesmo usando aquela camisola.

Como ela estava chateada com o marido, acabamos por conversar muito sobre isso. Revelou-me que ele nunca lhe deu o devido valor que ela merecia e eu concordava com tudo que ela dizia. Então ela começou a chorar e eu senti que era a hora do ataque. Abracei-a muito e ela pode sentir que o meu caralho estava muito duro. Tentou desprender-se de mim mas eu não deixei. Sem lhe dar nenhuma hipótese, dei-lhe um beijo naquela boca carnuda e como ela estava carente, entregou-se num beijo excitante. Apalpei-lhe os seios e senti que estavam durinhos de tesão. Então levantei-lhe os cabelos e disse-lhe que eu poderia dar-lhe tudo o que o marido nunca tinha dado. Mas ela como sempre foi uma mulher correcta, tentou esquivar-se dos meus ataques. Mas foi em vão. Quando ela se apercebeu, eu já lhe tinha retirado a camisola e ela só estava de cuecas branca. Agarrei-a ao colo e a levei-a para o quarto dela.

Tirei os meus calções para ela poder ver o tamanho do meu pau durinho. De seguida, subi para cima dela e comecei a chupar aqueles seios médios e um pouco flácidos, mas que eram muito bonitos ainda para uma mulher de 43 anos. Nessa altura ela entregava-se completamente a uma paixão avassaladora. Subiu para cima de mim e deixou que eu a penetrasse naquela cona apertadinha ainda. Os seus seios balançavam sobre mim e eu ficava brincando com eles com a minha boca. Ela gritava de tanto prazer. Um prazer amordaçado que havia muito tempo que ela não soltava. Acabamos por fazer amor a manhã toda. Antes que eles chegassem fomos à casa de banho e tomamos banho juntos. Levei-a novamente para cama ao meu colo ainda molhadinha. E fomos enxugando-nos e vestindo-nos e ela vestiu a mesma camisola que usava quando eu cheguei. Foi então que lhe pedi para que realizasse uma fantasia minha.

Pedi que ela colocasse uns sapatos de salto alto que ela usava no trabalho. Ela prontamente atendeu o meu pedido e calçou uns sapatos pretos bem altos que usava só em ocasiões especiais. E começou a desfilar para mim no quarto. Depois deitei-a no chão e ela começou a pisar-me com os seus saltos finos. Retirei-os e chupei aqueles pezinhos pequenos macios. Já era meio-dia e ainda estávamos excitados, mas não poderíamos continuar pois eles estavam todos a chegar para o almoço. Mas não terminou por aqui, ela gostou tanto de se sentir mulher novamente que sempre que o marido vai viajar, ela liga para mim e temos noites escaldantes.

Leave a Reply